Tags

, , ,

Desde já peço desculpa pela falta de fotografias capazes. Não sei o que se passou com a máquina pequena neste dia mas pura e simplesmente não focava nada independentemente do modo em que estava e da luz que apanhava. Portanto as que se aproveitaram são muito poucas e não mostram a figura como seria desejado numa crítica. Mas, para compensar, tenho muito texto.

O personagem não precisa de apresentação. A figura foi anunciada numa época bastante propícia para mim: tinha acabado de ver Fullmetal Alchemist: Brotherhood há bem pouco tempo e ainda estava com a cabeça naquele mundo. Fiquei muito contente quando vi o protótipo e, assim que ficou disponível para pré-encomenda, não hesitei. Confesso que, com o passar do tempo, fui perdendo o interesse e talvez me tenha começado a arrepender um pouco do impulso mas, ao mesmo tempo, pensei que com o Edward poderiam vir mais figuras da série. E sempre que via mais imagens promocionais a minha consciência acalmava um pouco. Até que ela chegou. Primeiro, adorei a caixa. Embora seja demasiado grande para o que contém está bastante dentro do espírito da série.

Mas achei muito estranho este aviso:

Pensei que fizesse parte da nova política da AmiAmi mas não. Estava mesmo relacionado com a figura. É que é extremamente fácil estragá-la ao mudar as peças. A Megahouse não faz estas coisas normalmente. As grandes mestras em mudança de peças são a Good Smile Company e a Max Factory e, por vezes, a Alter. Já com a Sheryl Nome tive alguma dificuldade em colocar a roupa – o corpo ficou todo riscado – e, com este Edward, colocar a capa foi a pior experiência que tive com uma figura. É muito, muito difícil. Mudar as expressões e os braços também tem que se lhe diga mas com jeito e paciência consegue-se. Mas temi várias vezes que o braço se partisse quando foi altura de colocar a capa. Basicamente, o braço tem que “deslizar” para o encaixe. Tira-se uma mão que dá lugar a um espigão que tem que entrar no buraco da mão que está esculpida na capa. Só que o espigão não entra, pura e simplesmente, por mais força que se faça.

Depois de meia hora (sim, meia hora!) lá consegui mas ficou muito instável. Tenho a certeza que ao mínimo toque a capa cai. Felizmente a figura vem com um suportezinho de plástico que ajuda a capa a ficar no sítio e na altura certa. Mas não planeio mexer-lhe mais. Fica como está. E, para além desta dificuldade enorme, a figura vem com um erro crasso: a capa não tem o símbolo. O quê?, perguntam vocês. É isso, não tem. E a capa podia ser mais vermelha.

Então mas a figura não tem nada de bom?

Tem.

Ambas as expressões estão bastante fiéis ao personagem. Infelizmente só consegui capturar uma decentemente.

Os detalhes do mecanismo no braço estão interessantes e o braço mexe ligeiramente.

O brilho nas calças também modela muito bem as pernas. Gosto da forma como a figura foi esculpida na medida em que dá mesmo a sensação da baixa estatura do Ed (ele que me perdoe!).

E, problemas de encaixe e de capa à parte, o que é certo é que enche bastante o olho e fica bonita na estante.

Espero sinceramente que colmatem estas pequenas falhas nas próximas edições da série G.E.M. Se fizerem mais de Fullmetal Alchemist concentrem-se apenas numa expressão e num acessório e façam-no excelente, em vez de querer oferecer diversidade com uma qualidade ligeiramente dúbia.

Dou um 6/10.