Apresento-vos a Tohsaka Rin:

É a minha figura mais desejada agora que consegui a Saber Lily (tirando uma Sailor Venus mas essa é tão improvável que nem considero). Não tinha dinheiro para ela quando saiu pela primeira vez e já tinha o mês preenchido quando saiu pela segunda. Duvido que tenha uma terceira oportunidade. É raro encontrá-la na Mandarake e a única loja que conheço que a tem é Norte-Americana e aplica preços abusivos. Se podia comprá-la na mesma? Podia. Mas a minha qualidade de vida iria sofrer imenso com isso. Qual é, então, o propósito deste artigo?

Bom, estava a “passear” pelos fóruns do MyFigureCollection quando me deparei com um tópico com este mesmo título, no qual os utilizadores partilhavam as melhores formas de gerir o dinheiro que aplicam na compra de figuras. Muitos dos utilizadores têm as mesmas técnicas que eu, outros têm a sorte de ter bons empregos que lhes permitem lotes de cerca de dois caixotes por mês. Mas fiquei verdadeiramente chocada ao ver comentários de pessoas que dizem que comem menos quando querem poupar dinheiro para uma figura. Que emagreceram 20kg desde que começaram a coleccionar. O que me fez perguntar a mim própria: mas esta gente droga-se? Que raio de educação lhes foi dada para acharem que passar fome por um bocado de plástico era uma opção viável?

Há sempre maneiras de se conseguir o que se quer excepto quando não há disponibilidade no mercado. Pessoalmente estou à espera que Abril chegue para ver se ainda há Rins disponíveis na tal loja, dando-me um mês para poupar o suficiente. E como é que eu poupo, passando fome? Não. Porquê? Porque tenho miolos, felizmente. É tudo uma questão de fazer escolhas. Por exemplo: sendo rapariga dava-me jeito começar já a renovar o meu guarda-roupa de Primavera/Verão. Mas o que é que me dá mais gozo, roupa nova ou figuras novas? E preciso realmente de roupa nova quando tenho o armário cheio de vestidos? Não. Portanto, corto nisso. Livros. Tenho tanta coisa ainda por ler, preciso realmente de adicionar volumes à lista? Não. E filmes? Todos sabemos como contornar esse obstáculo. Felizmente ainda moro com os meus pais para ter a necessidade da comida coberta mas, mesmo que morasse sozinha, era algo de que nunca abdicaria. É ridículo. Não ter comida é uma realidade que afecta cada vez mais o nosso país e imaginar que há quem se voluntarie a passar por essa situação por causa dum bocado de plástico é revoltante. Revoltante, mesmo.

Aqui ficam as minhas dicas para coleccionarem e ainda manterem a vossa qualidade de vida:

– Sejam selectivos. São todas muito giras mas só duas ou três é que realmente vos dizem alguma coisa, não é?

– Digam não às compras impulsivas. Sofro imenso desse mal e tenho um artigo encomendado que me está a dar voltas ao estômago de culpa. Se resistirem ao impulso livram-se de duas coisas de uma só vez: não gastam dinheiro e não sentem culpa.

– Calendarizem as pré-encomendas que têm efectuadas. O MyFigureCollection dá muito jeito para isto. Quando virem algo que gostam vão à vossa lista de produtos encomendados, verifiquem quantas figuras já têm para esse mês, façam contas e tomem uma decisão. Eu sei que custa.

– Mantenham-se atentos aos saldos de lojas específicas e a lojas como a Mandarake.

Só com isto já devem conseguir poupar alguma coisa. O importante é nunca, nunca se esquecerem de se porem a vocês primeiro. Lembrem-se sempre que, por mais bonitas que sejam, figuras são pedaços de plástico. Vale a pena sacrificar saúde e bem-estar por isso?