Tags

, , , , , ,

*ATENÇÃO AS IMAGENS ABAIXO DEMONSTRADAS SUPORTAM INFORMAÇÃO SPOILER*

É com prazer que vos apresento a mais recente visual novel traduzida de Ryukishi (07th Expansion)

– Higanbana no Saku Yoru ni – The first Night- em inglês, On the Night the Red Spider Lily Blooms.

Sinópese:

Higanbana no Saku Yoru ni toma lugar numa escola e compõe diversas pequenas histórias. Estas histórias caracterizam aspectos como o bullying, tanto do lado da vítima como do agressor. Higanbana, uma das personagens principais, pertence a uma série de lendas urbanas, os  7 mistérios da escola, intitulando cada ser sobrenatural como yokai.

O envolvimento entre Higanbana e Marie, uma criança que sofre de bullying na escola, é o que dá desenvolvimento a esta visual novel e os seus pequenos mistérios.

A Visual novel

Esta imagem é uma ilustração da aparência após o fim da leitura dos capítulos, quem iniciará Higanbana comecerá só com 4 opções sendo “Library” e “Music Room” bónus da finalização da leitura.

A tradução é introduzida pelos colaboradores Ronove, ao contrário da habitual Witch Hunt, tradutora da visual novel Umineko no Naku koro ni.

Ao clicar “Attend” no menu principal, Higanbana demonstra algo inovador a meu ver. Nesta imagem está demonstrado 7 velas mas quando se começa esta novel somente se vê uma e não todas por completo. À medida que se acaba os capítulos, novas velas acendem representado as suas histórias.

A aparição do texto é similar tanto a Umineko como  Higurashi, trabalhos produzidos por Ryukishi, o que demonstra um seguimento e associação ao seu criador.

Ao clicar “Library”, opção somente possível após a finalização dos capítulos, poderemos ter uma breve biografia das personagens.

“Musica Room” – opção somente possível após a leitura completa. Tal como Umineko, nesta opção de menu poderemos ouvir as músicas de fundo (BGM)

O “Glossary” é um grande membro de ajuda a quem não conhece tão fundo a cultura japonesa. Aqui estão presentes os significados tanto concretos como as suas metáforas ou provérbios.

Esta visual novel compõe 7 capítulos, algo diferente dos trabalhos anteriores de Ryukishi o que constitui um elemento de curiosidade. O facto desta divisão ajuda no processo da leitura, isto porque, trata-se de uma história diferente a cada capítulo além de envolver sempre as duas personagens principais – Higanbana e Marie.

Criticando do ínicio:

  •  Como dito anteriormente, o facto de à medida que acabamos cada capítulo acende uma vela e ilumina o caminho escondido pela escuridão acho bem conseguido e pensado.
  • As músicas: Terei de ser menos assertiva neste aspecto além de não conseguir na integridade. Para quem leu Umineko e compara a BGM, Higanbana não se iguala, num mau sentido. As músicas alimentam bem o ambiente mas não deixamos de ter a sensação que já ouvimos em algum lado. Contudo, condiz com os aspectos temáticos desta visual novel, disso não posso discordar.
  • É impossível não comparar certos aspectos, e uma das coisas que me deixou desiludida foi a reciclagem tanto de sons vulgares (bater portas, vento, etc) e imagens de fundo. Abaixo está representado um dos fundos exemplares da minha indignação:Para quem leu Umineko, esta imagem é mais que conhecida, o facto de estar presente igualmente em Higanbana demonstra, a mim pelo menos, falta de tempo ou paciência para criar algo novo.
  • Conteúdos e história: As personagens são extremamente bem desenvolvidas. Temos sempre exemplos de personagens fixas, isto é, mantém a sua integridade e caracterização até ao fim, como temos personagens evolutivas sendo estas o ponto fulcral de Higanbana. As histórias são, no geral, satisfatórias, o nível de gore é assentuado especialmente no capítulo 1 e 5 contudo, não deixam de ser, na totalidade, histórias interessantes;

Por fim, achei Higanbana no Saku Yoru ni um pouco “encher chouriços” como diz a sabedoria popular. Existem histórias que nos cativam imenso, como existem outras que nos fazem pensar em ler outra coisa qualquer.

Um ponto forte, e isto é mesmo a minha opinião, é o facto das histórias rondarem casos diferentes. Muitos podem não gostar, se calhar preferem que a visual novel fosse só sobre aquelas personagens.

Recomenda-se?

Gostam de gore e histórias misteriosas? Então sim, recomendo. Mas para quem já leu Umineko ou Higurashi, Higanbana será banal no mínimo.

Espero que tenham gostado!