Tags

, ,

Olá a todos!

Então, estão curiosos para saber como foi a experiência para a nossa representante solo no ECG, em França?
Então continuem a ler, porque hoje o Ritsu & Co. esteve à conversa com a Leonor Grácias!

Antes de mais, como te sentiste quando soubeste que ias representar o teu país no ECG?
Senti um grande orgulho e responsabilidade, não só para ganhar mas principalmente para orgulhar a comunidade portuguesa. Adoro Portugal e a “minha” comunidade de cosplay. Como somos um país pequeno conhecemos-nos a todos e, mesmo com os mal entendidos que existem, acaba sempre por ser uma comunidade unida. Fiquei bastante feliz quando soube que tinha sido escolhida juntamente com a Patrícia e com a Sara.

Quais eram as tuas expectativas relativamente ao evento e concurso de cosplay?
Pelo que me tinham contado do ano passado sabia que era algo muito stressante mas mais pelos horários! E sim, quando me deram os horários vi que não tinha tempo para nada! Mas pensei que seriam um pouco mais cuidadosos com os props dos cosplayers, já que estamos ali a representar vários países no concurso que é feito por eles. Mas de resto correu tudo bem, soube bem viver estes seis dias com adrenalina nas veias.

Porquê a escolha da Dinah de animA Tactics?
Queria algo de um jogo, não queria fazer algo cliché (não que esteja contra, EU é que não queria). Fiz algo desconhecido, também para mostrar e fazer quase publicidade.  Adoro o fato dela, simplesmente elegante e detalhado! Adoro fatos detalhados! Quis também experimentar fazer de “elfo”, foi tipo um mix de coisas que gosto nas personagens, e escolhi as asas do jogo (é um jogo de tabuleiro com figuras) para fazer com que elas andassem como no jogo!
No futuro penso em fazer as asas da ilustração! Pois são LINDAS! Mas em palco não davam jeito nenhum! Não queria ficar parada só a posar para as câmaras.

O processo de construção foi mais complicado do que aquele a que estás acostumada?
Foi complicado! Mais pelos props. Li muitos tutoriais pois nunca tinha trabalho com FOAM e/ou feito asas. De resto ja é algo que estou acostumada, mas sem dúvida é o fato mais detalhado que alguma vez fiz na vida! E quem o viu ao vivo pode confirmar que o detalhe era imenso.

O que gostaste mais de fazer?
Adorei fazer asas! Pintar as penas, enfeitar… Adorei!! Adorei também enfeitar o meu vestido todo, são as partes que mais gosto do meu fato!

E o que te deu mais trabalho?
Fazer as bases para as asas; foi dificílimo fazer com que aquilo andasse, infelizmente chegou lá e pelo mau manuseamento das peças elas não andaram como eu queria, mas como existe sempre um plano B, no final elas andaram! Com muito esforço, mas andaram pelo palco!

Algo de novo que tenhas aprendido?
Tudo o que tenha haver com props! Nunca tinha feito algo tao grande (já tinha feito a espada de Inuyasha, mas essa foi muito fácil de fazer apesar de ter 1.60m e qualquer coisa).

Ficaste satisfeita com o resultado final? Pretendes mudar/melhorar alguma coisa?
Fiquei satisfeita com o facto das asas terem andado! Depois de tantos problemas que tive com as asas, eu só queria que elas andassem, quando olhei para o ecrã (durante o skit) e as vi a andar comecei a sorrir porque simplesmente concretizei o que queria fazer. Mas sim! O fato não está perfeito! Olho para ele e vejo partes que desgosto! Vou tentar fazer o torso que é a parte menos fiel do fato! E adicionar algumas coisas que se estragaram com a viagem! E claro como disse, talvez fazer umas novas asas só para fotografia.

Qual foi a reacção do público perante o teu cosplay?
Em cima do palco não tive a noção, mas sei que quando fui para o backstage WOW, as pessoas vinham e diziam que tinham adorado os pormenores do meu fato! Fiquei super feliz, ainda tenho pessoas a virem-me dizer que mesmo do palco via-se a quantidade de pormenores que o meu fato tinha e que estava mesmo muito elegante, que a escolha de tecidos foi boa, essas coisas assim, o que para mim é mais importante que algum prémio! Dei boa impressão às pessoas, fico bastante feliz!

O que achaste quando voltaste a Portugal e viste o apoio prestado pelos portugueses que não foram capazes de ir a França ver-te?
Nas redes sociais foi imensa, não só pela parte dos Portugueses, mas tive muita gente a elogiar-me e a criticar (coisas más e boas, o que podia melhorar). Adorei! As pessoas foram fantásticas para mim, e mesmo antes de ter voltado a Portugal, ia todos os dias à internet e via mensagens de apoio de todo o mundo, foi óptimo! Os meus amigos apoiaram-me desde o inicio.

E sobre o skit? Correu de acordo com o planeado?
Nem vos digo, o team Portugal sofreu muito antes do ECG, tivemos muitos problemas (não graves porque tinhamos muita gente para ajudar) mas o pior era o stress, quando fiz o primeiro ensaio eles trataram tão mal as minhas asinhas que eu pensava que não iam sobreviver!  Eu fui-me deitar à noite com um stress enorme em cima! Isso sim foi horrível! Mas no fim tudo se resolveu e o skit correu mais ou menos como planeado.

No geral, gostaste da experiência?
Adorei! Completamente. Fiz montes de amigos, estive com amigos que não via há um ano, pelo menos! Foi algo de outro mundo! Mas se querem ir, têm de estar preparados para muito stress e muitas nódoas negras!  Mas não tenho palavras para descrever o que é representar Portugal… e estar num ambiente onde existe 24h de cosplay non stop é demais!

Pensas repeti-la?
Daqui a uns anos, depois dos problemas todos que tive, só daqui a uns anos mesmo! UNS BONS ANOS! Demasiado stress para mim! É algo para nos divertirmos mas sentimos sempre um peso nas costas por estarmos a representar algo importante para nós.
Daqui a uns anos tento de novo!

Fotografia por Alice Manso

E não percam o post de amanhã, onde estará a nossa entrevista ao grupo português: Sara Cordeiro e Patrícia Bordeira!