Tags

, , , , ,

Acabei de ver esta série há umas semanas mas ainda não tinha tido oportunidade de me sentar com calma e escrever sobre ela. Embora não haja muito a apontar.

Another é uma série que pretende ser de terror, explorando basicamente todos os clichés do género e tentando introduzir alguns plot twists que, em teoria, deixariam o espectador aterrado. É bem sucedida? Não. Começamos por conhecer o personagem masculino principal, Sakakibara Kouichi, que se encontra numa escola nova, numa turma de estranhos na qual todos o olham de lado. Cedo se apercebe da presença da personagem feminina principal, Misaki Mei, rapariga que todos parecem ignorar, o que leva Sakakibara a questionar a sua existência. Os primeiros episódios revolvem à volta desta premissa: será Mei real? Ao mesmo tempo começam a ocorrer mortes súbitas dentro da turma ao mesmo tempo que o comportamento dos colegas vai ficando cada vez mais estranho. Kouichi descobre que há uma suposta maldição dentro da turma, iniciada anos antes, que parte do comportamento dos colegas é apenas uma medida de defesa e que não há maneira de parar o desenrolar dos acontecimentos. Ou há?

Os primeiros cinco episódios – os que andam à volta de Misaki Mei – são bastante interessantes. Uma pessoa sente-se atraída pela aura de mistério da série e nem se importa com os elementos introduzidos à força para criar a dita atmosfera (como a loja de bonecas de porcelana, por exemplo). Mas, depois dessa situação específica se resolver, a série perde fôlego. O ritmo torna-se lento, há a sensação que os directores não sabem muito bem como descalçar a bota e a história principal – a da maldição e de como a parar – torna-se desinteressante e, confesso, atabalhoada na sua resolução. Não que tenha sido um sacrifício concluí-la. Entretém embora por vezes o suspense seja tão lento que a paciência atinge certos limites. Mas podia se continuasse o rumo dos primeiros cinco episódios podia ter sido muito mais consistente como um todo.

A nível técnico não tenho muito a apontar. Aliás, foi provavelmente o aspecto que mais gostei. A animação é excelente do princípio ao fim e cada membro da turma tem um aspecto físico bastante distinto. Geralmente as séries focam apenas as três ou quatro personagens principais e os restantes são uma massa indistinta de personagens iguais uns aos outros. Aqui, como a turma pode ser considerada uma personagem em si, cada um era bastante diferente do outro. Nota máxima nesse aspecto.

A forma como tentam que Misaki Mei se torne um ícone para os fãs também é bastante irritante. É como a Good Smile Company a esfregar figuras da Hatsune Miku na cara das pessoas. Sim, percebemos a ideia, ela é peculiar mas adorável ao mesmo tempo, podemos continuar com o enredo?

7/10 em grande parte devido à animação.

Críticas aos primeiros cinco episódios:

Episódio 1
Episódio 2
Episódio 3
Episódio 4
Episódio 5

Se gostam do género volto a sugerir o visionamento de Shiki.