Boa noite a todos!

A entrevista desta semana é com o Tiago sobre a sua fatiota de Green Arrow da DC Comics.
Para além de ter uma adoração enorme por esta personage, já fiz, eu própria, cosplay de Black Canary (que para quem não sabe, é o main love interest deste héroi :P), por isso não podia deixar escapar a oportunidade de entrevistar um Ollie!

O Tiago tem 21 anos e começou a fazer cosplay em 2012.
Este cosplay já venceu o segundo lugar no concurso individual do Iberanime OPO 2012 e o segundo lugar na eliminatória portuguesa do EuroCosplay deste ano!

Vamos lá!

1. Porquê a escolha desta personagem para cosplay?
Desde à algum tempo que queria fazer algo diferente na Viagem Medieval, e como sempre fui fã de tiro ao arco, já que fazia cosplay porque não juntar o útil ao agradável?
Não pensei logo no Green Arrow, pesquisei várias hipóteses mais ligadas à cultura oriental mas nada que, ou não fosse demasiado exuberante, ou não fosse demasiado simples. Sou um bocado picuinhas nisso.
Então, com todo o clima acerca da conclusão da trilogia do Batman, comecei a pensar: “Porque não olhar um bocado para  fora da imagem habitual?”. E foi então que me virei para os comics. Como andava com ideias de arranjar um arco, saltaram logo 2 hipóteses à cabeça… Hawkeye e Green Arrow. Como a Marvel tem várias personagens interessantes que gostaria de explorar, decidi apostar desta vez na DC, e o Green Arrow foi escolhido. Afinal, fato verde e barba loira, nada que numa feira medieval não associassem ao arqueiro fora da lei mais conhecido do mundo.

 2. Porquê este fato em especifico?
A ideia inicial seria fazer um fato mais simples, mas a cada dia que passava lembrava-me da eliminatória portuguesa do EuroCosplay, e o bichinho da vontade de competir foi crescendo.
Quando pus na cabeça que ia mesmo participar, tive de trocar todos os meus planos do projecto e escolher um fato mais composto.

 3. Quanto tempo demorou a ser feito?
Decidi começar cedo e fazer as coisas mais lentamente e com calma, mas acontece que aparecem sempre coisas para nos contrariar a vontade, o que fez com que todos os acessórios e arranjos no fato em si fossem feitos em 2 semanas. E apenas graças à ajuda da minha namorada no que trata a costuras. Definitivamente, o meu ponto fraco.

 4. O que gostaste mais de fazer? E menos?
Adorei trabalhar no meu arco, apesar de ainda não estar como quero deu-me grande gozo implementar-lhe o sistema de leds.
O que gostei menos, foram definitivamente as malas. ‘Martelar’ buraquinhos de centimetro em cintemtro na pele matam uma pessoa de tédio. Mais uma vez, queria agradecer à Ana Lourenço pela ajuda.

 5. Dirias que o fato, na sua totalidade, foi de fácil ou difícil construção?
Considerando a minha experiência actual achei um pouco complicado, mas olhando para outros fatos de colegas nossos não o considero um ‘cosplay difícil’. O meu primeiro cosplay foi de Kiba (Naruto), colocando um ao lado do outro, penso que seja visível a diferença de dificuldade na execução. Infelizmente não tenho tanto tempo disponível para aprendizagem quanto queria, então tive quase 2 anos sem apresentar um cosplay diferente. Acho que consegui atingir um nível superior, mas ainda tenho muito mais para dar se quero chegar aos pés dos cosplayers portugueses que vão representar o nosso país lá fora.

 6. Gastaste por volta de quanto dinheiro neste cosplay?
Talvez uma quantia algures entre os 150 e os 250€. Mas como estou sempre a mudar coisas nos cosplays, vai aumentando sempre qualquer coisa.

 7. Aprendeste alguma coisa nova durante o processo?
Foi a minha primeira vez a trabalhar com leds, pasta papel e a fazer barba (risos). Tive de aprender umas noções de electrónica, relembrar as aulinhas de trabalhos manuais da escola primária e tive sorte em conhecer certas pessoas “experts” em caracterização.

 8. Gostaste do resultado final?
Adorei o resultado, mas ainda não estou completamente satisfeito. Mas o fato serviu os seus propósitos, agora vou-me divertindo e inventando coisas novas para o aperfeiçoar mas sem o stress dos prazos. A única parte mais chata deste cosplay é o desconforto inicial da barba, ou quando há um pelinho qualquer que foge do sítio e me começa a fazer comichão, mas independentemente disso, é cosplay que mais gosto me dá em usar.

 9. Que achaste da recepção da comunidade quando fizeste este cosplay?
A princípio foi um pouco estranho, porque na comunidade portuguesa, os conhecedores do universo DC são uma minoria (Muitos olhavam-me como um Robin Hood todo modernizado *risos*). Mas as pessoas que conheciam a personagem “amassaram-me” de tantos elogios por ter escolhido a personagem e pelo trabalho (nota Ritsu: Estou inocente, lol!). Nada melhor para elevar a auto-estima e aumentar a motivação.
Agora espero conseguir continuar a obter tanto feedback positivo no futuro.

 10. Agora olhando de novo para o fato, mudarias alguma coisa?
Então não? Pretendo dar uma remodelação à barba, conseguir arranjar a máscara de modo a que consiga ver a mais do que 30 centímetros à minha frente, “pregar” a parte da fivela que me segura a aljava das setas no sítio (uma vez que já é a segunda vez que se parte) e mudar as botas. Outra coisa que até gostaria, era conseguir escurecer todo o fato para um verde mais escuro, mas penso que isso não passará da ideia em si.

– Fotografias por Luís Gaio

Pessoalmente, penso que será desnecessário dizer o quanto gostei deste cosplay, mas quero salientar que adorei a barbicha (que é quando o Ollie fica mais estiloso!), a flecha luvinha de boxe e o facto da máscara ter os olhos brancos.😉

O Ritsu & Co. espera ver mais cosplays de comics do Tiago em breve e deseja-lhe montes de sucesso!